A História sobre como surgiu Festival Martinha Roots

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Ah, que delícia relembrar isso… sou saudosista assumo total culpa rsrs

Quando entrei no forró meu aniversario (5 de maio) já havia passado. Fiz meus 39 anos sem roda de baião como costumamos fala aqui na Bahia.

E me doía ao mesmo tempo que ficava feliz em participar da roda de todos durante todo o meu primeiro ano. Ficava imaginando como seria imaginando a minha sempre. E lhes digo… foi melhor do que eu imaginava (corações).

Sempre quis entrar na casa do “enta” (40), em grande estilo. E assim foi.

Logo para receber os convidados tinha voz e violão, até os convidados chegarem.

Fiz uma festa linda, para meus 40 anos. Onde eu mesma fiz todas as lembranças e o convite. Mais de 150 pessoas comprareceram.

Foram 12h de forró. Trio, Donalice, Forró 4 Estações e Trio Iracema (bandas regionais) fizeram o chão tremer. E eu tive a minha primeira RODA DE BAIÃO.

Até meu filho, (que odeia forró) aprendeu a dançar, pra poder participar.

E ainda me torturava pois, sempre me dizia, só vou dançar com você na sua roda de baião.

Então claro que foi algo q marcou…. chorei tanto, mais tanto…. e foi de tanta emoção q ate perdi um dos meus cílios postiços, vejam só vocês kkkkkkk

Forró 4 Estações, me deu a honra de tocar na minha roda de baião, mais foi no antigo Trio Donalice (que tocou primeiro), que minha mãe depois de 15 anos pegou na sanfona pela primeira vez e tocou pra mim, depois deu ouvir uma linda poesia de um senhor q morava em Itacaré BA, pai de um amigo meu, o Fábio, nossa.. muitas recordações deste dia, que por sinal não os vejo faz tempo heim?

Se estiverem vendo o blog, me liguem… rs …

Claro eu era só lagrimas nesse momento, da poesia e de ver minha mainha tocando… não sabia se sorria ou se chorava.

Me recordo q chamei um amigo pra dançar enquanto mainha tocava e no final tivemos aquele abraço cheio de lagrimas e alegria…… nossa…. foi lindo demais.

A festa foi finalizada com o trio Iracema q terminou de acabar com todos de tanto nos fazerem dançar.

Não sei como aguentei, mais tudo foi lindo e perfeito e todos amaram a festa…. depois disso todos queria q eu colocasse na agenda anual de festas… principalmente uma amiga chamada Dani, nossa bailarina….

Eu achava uma loucura… mais depois de vivenciar Itaunas e Uma Tonelada de Forró ( um festival q não existe mais aqui na bahia) sai escrevendo ainda no busu, voltando pra casa, como seria o Martinha Roots 4.1

… e assim… tudo começou e minha vida mudou completamente.